02 Maio 2022 às 17:12 GMT+0000
“Are You There God? It’s Me, Margaret”: Rachel McAdams diz que a história clássica continua relevante e engraçada

Fonte: Hollywood Reporter

“Judy Blume nunca havia encontrado a equipe que ela queria para assumir este projeto. E, 50 anos depois, ela se sentiu pronta”, diz McAdams, que receberá o Prêmio Vanguard do CinemaCon.

Rachel McAdams, ganhadora do Vanguard Award deste ano na CinemaCon, pôde sentir uma “onda de reconexão e reencontro do amor pelos filmes agora”. Ela acrescenta: “Sem exagero, mas é meio emocionante pensar em ir e sentar em um cinema cheio de pessoas novamente”.

E McAdams logo se encontrará de volta na tela grande para a adaptação da Lionsgate do amado romance de Judy Blume de 1970, Are You There God? It’s Me, Margareth. O Hollywood Reporter conversou com a atriz sobre o retorno aos cinemas e o que Margaret significava para ela, pessoalmente, e o que isso poderia significar para o público.

Você tem uma primeira memória de cinema?

O Peter Pan animado foi o primeiro filme que eu vi. Lembro-me de que havia cortinas vermelhas que se abriram e a tela foi revelada, e eu fiquei tipo, “Espere, em que planeta estou?”

Você tinha uma ligação pessoal com o livro de Judy Blume?

Na verdade, não, mas foi muito bom chegar a isso mais tarde na vida como mãe, porque eu estava interpretando a mãe e estava vendo isso através dessas lentes. Eu tenho uma filha, então se tornou realmente poderoso desse ponto de vista. E então também me levou de volta à minha própria infância e desejando ter descoberto aquele livro. Eu gostava muito da série Fudge quando era um pouco mais jovem e lembro de pensar: “Ah, esse é um livro atrevido que ainda não li”. Então comecei a fazer teatro e esportes e nunca consegui. Foi interessante lê-lo todos esses anos depois e sentir o quão relevante foi e o quão engraçado ainda é.

O que atraiu você para Barbara, a personagem mãe da história?

Ela tem um papel mais coadjuvante no livro, e é um pouco mais desenvolvido no roteiro. E eu senti que Kelly [Fremon Craig, o diretor] desenhou uma mãe que estava em uma jornada paralela com sua filha e tentando ser mãe, mas também ser uma pessoa. [Ela] é uma mãe muito solidária, mas também quer dar a filha um senso de independência e autonomia e deixá-la passar pelas maravilhas da vida sozinha e não obscurecer muito isso com suas próprias ideias de como você deve e não deve ser. Foi de partir o coração para mim que ela trabalhou muito duro para não sobrecarregar sua filha com seu próprio passado, mas é uma parte de quem ela é. Mas não tem como não aparecer. É apenas uma verdadeira cacofonia de coisas honestas e verdadeiras que mulheres e mães vivenciam como um todo.

Por que você acha que um longa-metragem foi a maneira certa de contar essa história?

Ainda há algo muito romântico em ir ao cinema e este filme tem uma verdadeira nostalgia. Por mais que seja relevante para hoje, ainda se passa nos anos 70, então faz sentido a esse respeito. E é um evento assim também. Judy Blume nunca havia encontrado a equipe para a qual queria assumir esse projeto. E, 50 anos depois, ela se sentiu pronta.

O que você espera que o público tire desse filme?

Espero que haja, acima de tudo, um sentimento de união e comunidade e sentimento, como mulheres, como se estivéssemos todas no mesmo time. Que não há nada que você não possa falar um com o outro. E para os homens também. Benny Safdie interpreta o pai nisso e é tão caloroso, e ele está lutando com o que é ter uma garota que está mudando diante de seus olhos. Mas espero que inspire no que os filmes são tão bons, que é reunir as pessoas e inspirar conversas, hum, tornando essas coisas mais fáceis de falar. É incrível que, 50 anos depois, ainda não estejamos muito bem em falar sobre a menstruação das mulheres. (Risos.) Os filmes são uma ótima maneira de fazer a bola rolar na mesa de jantar. Espero que isso promova a conversa e um sentimento de não estar sozinho.

Nenhum comentário em ““Are You There God? It’s Me, Margaret”: Rachel McAdams diz que a história clássica continua relevante e engraçada”


Comentar






Autor: Allie
Arquivado em:
Matérias, Notícias, projetos, RMcABR

Últimas fotos adicionadas na Galeria